Há mais de 60 anos fazendo história

Ao longo de seus mais de 60 anos, a CDL/BH fez a sua história e teve papel importante nos destinos da Capital, contribuindo diretamente para o seu desenvolvimento. Os principais feitos da Entidade encontram-se divididos por décadas, acompanhe.

Compromisso com você

A CDL/BH é uma entidade de classe sem fins econômicos, filiação política, partidária ou religiosa que há mais de 60 anos promove soluções para o comércio varejista e os setores de serviços de Belo Horizonte, e também contribui para o desenvolvimento social e econômico de nossa comunidade.

Atualmente, a Entidade é a porta-voz de mais de 13 mil associados, distribuídos em diversos segmentos, entre eles: instituições financeiras / bancos, telecomunicações, eletrodomésticos, instituições de ensino, hipermercados e supermercados, construção / imobiliário, serviços e varejo.


Nossa Missão

Representarmos, com excelência, os setores de comércio e serviços, promovendo um ambiente favorável para os negócios e o desenvolvimento da sociedade.

Nossa Visão

Sermos imprescindíveis para os setores de comércio e serviços

Nossos valores

Associado: nossa razão de existir, nossa prioridade Inovação: temos o espírito empreendedor, valorizando a memória do comércio e da cidade Comprometimento com o outro: cada colaborador entende a sua importância na organização e contribui com o sucesso do outro, sabendo que, quando um cresce, todos ganham Qualidade na entrega: o cuidado com a entrega e a qualidade dos trabalhos faz parte da nossa cultura. A nossa responsabilidade é inseparável do nosso comprometimento Relacionamento: construímos relações que fortalecem a sociedade

Nossa História

PRIMEIRAS AÇÕES

Logo no início, a entidade assumiu o Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC. Na época, eram necessárias 3 horas para se fazer uma consulta nas fichas de papéis. Os constantes cortes de energia na cidade, prejudiciais ao comércio, levaram o CDL a agir junto à Cia de Força e Luz de Minas Gerais S/A. O CDL começou também nesta época a agir contra os camelôs, cobrando fiscalização da Prefeitura de Belo Horizonte.

DÉCADA DE 70

A CDL/BH, à medida que se expandia, envolvia-se mais em questões relacionadas ao desenvolvimento do Estado e da capital e também ligadas ao bem-estar de seus habitantes.

Nesta época, as entidades empresariais mineiras se uniram pela instalação de um pólo siderúrgico em Minas, e não no Espírito Santo, como previa o governo federal. O esforço culminou com a inauguração da Açominas, na década seguinte, em 1986, em Ouro Branco.

A década foi marcada por inúmeras reivindicações junto à PBH para solucionar problemas cotidianos, como a limpeza das ruas, estabelecimento do horário livre de comércio, camelôs no Hipercentro, entre outras. A Entidade também investiu na profissionalização do lojista e promoções nas datas comemorativas.

Em 1977, o CDL fez contatos com o Banco Central e teve participação fundamental junto ao governo federal para a implantação da alienação fiduciária e na comissão de Modificação do Código Tributário. Também conseguiu inserir nas folhas de cheque o número do CPF do emitente. Com o crescimento do Clube e dos dados do cadastro do SPC, o espaço do edifício Araxá tornou-se pequeno para as diversas atividades.

Começaram estudos sobre construção de uma nova sede e um lote foi adquirido na gestão do Presidente Leonardo Augusto Ferreira. Em 28/12/1976, na gestão do Presidente Marcos Furman, foi inaugurada a primeira parte da sede do CDL/BH, na Av. João Pinheiro, 495, onde permanece até os dias de hoje. A comissão de construção era integrada por Marcos Furman, Danilo Adolfo dos Santos e Ronaldo Ferretti.

DÉCADA DE 80

Este foi um período de muitas reivindicações e protestos liderados pelo CDL/BH devido aos problemas econômicos existentes no país e os de infra-estrutura ocorridos em Belo Horizonte. Alguns exemplos são o movimento contra a redução da jornada de trabalho proposta pelo governo, pela regulamentação do factoring, contra o projeto de lei 19/83, que visava eliminar o protesto de título, além da reivindicação pela criação do estacionamento de Faixa Azul.

Em 1984, para atender à demanda crescente dos associados em relação ao banco de dados do SPC, o CDL/BH adquiriu um computador para o Centro de Processamento de Dados, na gestão de Celso Teixeira. Para manter um diálogo direto com o consumidor, foi inaugurado, em 1988, o Departamento de Assistência ao Consumidor, o DEACON, com palestra do jurista Ives Gandra da Silva Martins. O Instituto Jk também surgiu neste momento, promovendo cursos e palestras sobre os mais variados temas, como tributação, marketing, entre outros. No mesmo sentido, foi criado o Conselho Econômico, que trazia até o CDL/BH economistas, tributaristas e jornalistas para ampliar o universo do associado.

Neste período também foi criado o Balcão do Lojista, para resolver questões do associado junto aos poderes constituídos e, posteriormente, foi transformado em prestação de consultoria jurídica ao associado.

Em 1986, foi implementada a Fundação CDL Pró-Criança, o braço social da Entidade e em 1989 foi criado o CDL Jovem, com a finalidade de desenvolver novos líderes.

Durante esta década, a Entidade criou os prêmios “Lojista do Ano” e “Mérito Lojista”, contemplando aqueles que se destacavam na defesa do comércio e da comunidade. No Natal diversas campanhas foram lançadas e, a partir dessa época, a figura do Papai Noel nas ruas da capital virou tradição.

DÉCADA DE 90

O nome Clube de Diretores Lojistas, já não expressava mais a força de uma entidade que representava milhares de lojistas da capital, pois passava a idéia de restrição e de clube social. Assim, em 24/11/1994, o CDL/BH passou a significar Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte.

Em 1995, foi criada a Agência para o Desenvolvimento do Centro de BH, a ADBH, formada por diversas entidades de classe, preocupadas com a degradação contínua desta região, capitaneadas pela CDL/BH.

Em 1996, a CDL/BH passou por um processo de informatização global, na gestão do Presidente Eduardo Noronha, possibilitando maior suporte aos lojistas. Assim, teve início a CDL Net Interligação, operando em conjunto com os SPCs das cidades mineiras; a provedora de acesso à internet; e o serviço de telemarketing. Em face à globalização, surgiu a Comissão de Comércio Exterior, a Comex. Em 1993, foi criado o serviço de Cheque Garantido, mais um instrumento contra a inadimplência.

A famosa Liquidabelô, a megaliquidação que envolvia quase todo o comércio da cidade, foi realizada pela primeira vez em 1996. Outras ações foram colocadas em prática para impulsionar as vendas em baixa, como concursos de vitrines de Natal, em parceira com a PBH.

Em 1997, foi criado o Centro de Tecnologia do Varejo, hoje Faculdade de Tecnologia do Comércio, a Fatec-Comércio. Neste mesmo ano, a CDL/BH sediou a 38º Convenção do Comércio Lojista. Em 1999, a Entidade lançou o “SOS Cidadão” e o Banco de Empregos, criado para reduzir as dificuldades das empresas do comércio na contratação de mão-de-obra especializada.

No final da década, a CDL/BH, na gestão de Manoel Bernardes, junto a outras entidades, teve participação decisiva na Assembléia Legislativa, para pressionar os deputados na aprovação da lei que instituiu o Código de Defesa do Contribuinte. Nessa época, os trabalhos para a aprovação de uma norma que possibilitasse a abertura do comércio aos domingos foram intensificados e resultaram na aprovação, pela Câmara dos Deputados, da Lei 10.101, de 2001.

DÉCADA 2000

Neste período, a CDL/BH organizou congressos e seminários para discutir a situação do varejo, como o Congresso Internacional de Shopping Centers, Fórum Mineiro de Jovens Lideranças, Seminário Nacional Cidadania e responsabilidade social e Empresarial, debates com os candidatos à Presidência da República e à Prefeitura de Belo Horizonte, entre outros.

Em 2003, na gestão do Presidente Roberto Alfeu, foi implementado o projeto Olho Vivo, em parceria com o Governo de Minas e PBH, por meio da Polícia Militar e Secretaria de Defesa Social. Durante as intensas chuvas de 2003, que deixaram milhares de pessoas desabrigadas no Estado, os lojistas e a comunidade trabalharam juntos com a CDL/BH no projeto Minas Solidária. Ainda neste ano, em parceira com a PBH e os comerciantes, a CDL/BH criou o projeto “Sempre Savassi”. O Código de Posturas de Belo Horizonte, de julho de 2003, incorporou proposições que foram apresentadas pela Entidade para beneficiar o comércio varejista.

O ano de 2004 foi marcado pela implementação de um novo modelo de gestão na Entidade, o Gerenciamento Baseado em Desempenho, o GBD, atendendo à necessidade de alinhar a implantação de estratégias ao processo de tomada de decisões rápidas e à mensuração de resultados.

No ano de 2005, foi inaugurado o Centro Integrado de Atendimento ao Associado, CIAA, para atender o associado pessoalmente de forma ágil e integrá-lo cada vez mais à entidade. O atendimento telefônico Em 2005 criou-se o serviço de atendimento ao associado, SAA, para centralizar e melhorar o atendimento telefônico.

Em março de 2004, entrou em funcionamento o SPC Brasil, que interligou as informações cadastrais das CDLs do Brasil todo. Em 2006, iniciou debates mais aprofundados para resolver os problemas que afetam os principais centros comerciais da Capital e alguns segmentos do comércio. Nesse contexto surgiram os Conselhos Regionais CDL/BH Savassi, Barreiro, Hipercentro e Barro Preto e as Câmaras Setoriais de Papelarias e Livrarias e Óticas.

No mesmo ano, Entidade lançou o CDL+Lojista, o maior programa de desenvolvimento para o comércio e serviços, composto por degustação de produtos, ao cartazes de Natal, o Kit Loja+ e a Campanha de recuperação de crédito, que concedeu alternativas para que consumidores inadimplentes quitassem suas dívidas e regularizassem o nome no SPC. Também, trouxe de volta o Programa de Capacitação Empresarial (PCE).

O ano de 2007 foi marcado pelo surgimento do Dia da Liberdade de Impostos, hoje Dia Livre de Impostos, uma ação reconhecida nacionalmente na luta contra a alta carga tributária. A ação foi realizada pela primeira vez em um posto de combustível da capital, que vendeu gasolina com o valor sem impostos, em protesto contra a alta carga tributária brasileira. No mesmo ano, a CDL/BH lançou o Fórum Permanente de Mobilidade Urbana, juntamente com a PBH e a BHTrans, para discutir sobre as questões relativas ao trânsito na área central.

Criação, por meio do Conselho Regional CDL Savassi e parceria com a Polícia Militar, da Rede de Comerciantes Protegidos da Savassi, que utiliza o aplicativo WhatsApp na prevenção contra a criminalidade. A Rede obteve bons resultados logo de início e foi estendida para outros centros comerciais por toda a cidade.

Década 2010

Sob a gestão, comandada pelo comerciante Bruno Falci, a CDL/BH fecha parceria com a Serasa, para diversificar seu mix de produtos, tornando-se ainda mais competitiva em relação às soluções de análise de crédito, além de duas grandes ações marcaram o ano: a Medalha 16 de Julho e a promoção Natal de Prêmios CDL/BH.

Em 2011, a CDL/BH foi inclusa no Conselho Estadual da Juventude. Trata-se de um órgão colegiado subordinado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Esportes que tem por finalidade atuar como fórum legítimo para a discussão dos problemas da juventude mineira e articular ações, como participação nos programas do governo do Estado.

Neste mesmo ano, CDL/BH, por meio da atuação da Câmara Setorial Duas Rodas, conseguiu um importante feito: o fim do ICMS sobre capacetes para motociclistas do Estado. Para alcançar a redução, a Entidade apresentou dados relacionados a acidentes, argumentando que o alto índice de traumas poderia diminuir se os motociclistas pudessem adquirir equipamentos homologados, portanto com mais qualidade, a preços menores.

2012 - Regulamentação do Código de Defesa do Contribuinte.
Reivindicação persistente da CDL/BH, o Código delimita direitos e deveres nas relações entre o Estado e o Cidadão, visando ao necessário equilíbrio entre contribuinte e órgão fiscalizador. O documento garante mais segurança ao lojista, estabelecendo órgãos de defesa como a Câmara de Defesa do Contribuinte (Cadecon) e pelos Serviços de Proteção dos Direitos do Contribuinte (Decon).

2013 - Sanção da Lei Geral Municipal da Micro e Pequena Empresa
A aprovação da lei trouxe novas medidas para o setor e é o resultado de luta da Entidade. Entre as medidas estão a fiscalização orientadora, canais facilitadores de crédito e um marco regulador que permite maior espaço para que as microempresas participem de concorrências públicas.

2014 - IV Conferência Municipal de Políticas Urbanas
Participação ativa na proposta de soluções para o município, obtendo êxito em várias delas, como o estímulo à criação de estacionamentos públicos e privados e incentivo à construção de edificações que tenham no seu pavimento térreo lojas voltadas para a rua.

Implantação da “Rede de Comerciantes Protegidos”
Sistema pioneiro na capital mineira, adotado pelos empresários da Savassi, utiliza o WhatsApp para a troca de informações sobre segurança patrimonial e comercial. Em dezembro do mesmo ano, foi implantado no bairro de Lourdes. Todos em parceria com a Polícia Militar de Minas Gerais.

2015 - Inauguração da primeira Varanda Urbana de Belo Horizonte
Projeto implantado na rua dos Goitacazes, é uma extensão temporária da calçada. Promove o uso do espaço público de forma democrática, permitindo à comunidade construir seu próprio espaço de convívio.

2016 - Lançamento do “Varejo Inteligente”
Criado em parceria com o Sebrae-MG, busca soluções para os principais desafios das empresas varejistas, por meio da aceleração e do desenvolvimento de startups e pela articulação com o ecossistema de empreendedorismo e inovação.

Inauguração do Centro de Desenvolvimento Social (CDS) da Fundação CDL Pró-Criança
A unidade, que abriga o Programa Educação e Trabalho (PET), tem capacidade para atender a cerca de duas mil pessoas por semana. Representa um importante marco para a Fundação, que ganha mais independência para o atendimento à comunidade.

2017 - Entrega da publicação “BH 120 anos. Um olhar sobre a cidade, seu comércio e a sua história”
O presente, entregue em comemoração ao aniversário da cidade, narra as histórias ligadas ao comércio e serviços e vividas pelo município nesses mais de cem anos de vida.

Conselhos Regionais Virtuais
São fóruns de discussão, voltados para assuntos pertinentes às principais regiões comerciais de BH. As discussões e comunicação são realizadas a partir da criação de grupos pelo WhatsApp e reuniões presenciais

2018 - Aprovação do novo Cadastro Positivo
O novo Projeto de Lei, aprovado pela Câmara dos Deputados, pretende estimular a inclusão, no cadastro de dados, de consumidores que mantêm suas contas em dia. Pela lei que está em vigor, os consumidores precisam autorizar essa inserção de informações no sistema. A mudança foi apoiada pela CDL/BH uma vez que representa a desburocratização e a efetivação do cadastro de bons pagadores.

Retrofit e Ponto Cultural
Início das obras de revitalização na CDL/BH, para modernizar a Entidade e incentivar a inovação.

Dias atuais

“Presidir a CDL/BH é a maior responsabilidade que assumi em toda a minha vida. Mas eu e os demais integrantes da diretoria estamos muito confiantes, certos de que o desafio é gigante, mas com grande disposição para trabalhar muito em defesa dos nossos associados e para intensificar nossas ações para continuar contribuindo para o desenvolvimento econômico e social da nossa capital”.
Marcelo de Souza e Silva, presidente da CDL/BH

Gestão Atual

Conheça o time de gestores da CDL/BH. Estamos prontos para proporcionar as melhores soluções corporativas.

Associa-se

MARCELO DE SOUZA E SILVA

Presidente

JOSÉ ÂNGELO DE MELO

Vice-presidente Administrativo e Financeiro

MARCOS INNECCO CORRÊA

Vice-presidente de Relações Institucionais

BRUNO SELMI DEI FALCI

Vice-presidente para Assuntos Jurídicos e Tributários

ROBERTO ALFEU PENA GOMES

Vice-presidente de Educação e Tecnologia

FAUSTO SEBASTIÃO IZAC

Vice-presidente de Relações Públicas e Sociais

LUCAS PITTA MACIEL

Vice-presidente de Micro e Pequena Empresa

MARCO ANTÔNIO MENDONÇA GASPAR

Vice-presidente para Promoção de Negócios

GEOVANNE GUALBERTO TELES

Vice-presidente para Assuntos Econômicos

JOÃO VICTOR CARNEIRO DE REZENDE RENAULT

Vice-presidente de Comunicação

FERNANDO LUIZ CARDOSO

Vice-presidente de Regiões Comerciais e Shoppings