Imprensa -

Inadimplência na capital mineira registra alta de 2,88% em janeiro

Sugestão de Pauta

A inadimplência do consumidor belo-horizontino apresentou níveis elevados no inicio deste ano. Isto é o que mostram os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH). A pesquisa apontou crescimento de 2,88% no número de pessoas inadimplentes em janeiro de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Apesar de elevado, o índice ficou abaixo do que foi registrado em 2016, quando atingiu 3,97%.

 

Pessoas Inadimplentes
Variação anual
(Gráfico 1)

 

Para a economista da CDL/BH, Ana Paula Bastos, este aumento demonstra o efeito negativo dos juros elevados e da inflação alta. “Esse cenário contribui para que os consumidores tenham dificuldade em negociar os débitos e manter as finanças em dia, sobretudo os que possuem dívidas como empréstimos e financiamentos”, afirma. “Se planejar financeiramente para o controle dos gastos é uma importante ferramenta, que auxilia a família a manter as contas em dia”, completa.

Comparação mensal – Na comparação com o mês anterior (Jan.17/Dez.16), o número de pessoas inadimplentes junto ao SPC da CDL/BH teve aumento de 0,19%. Segundo Ana Paula, os consumidores estão mais descapitalizados em janeiro, devido aos compromissos assumidos no fim do ano (compras a prazo de Natal, viagens de férias) juntamente com o pagamento de impostos (IPTU, IPVA), matrículas e itens escolares. “Esse comprometimento da renda aliado aos reajustes das tarifas de ônibus, energia elétrica e combustível, acabou prejudicando a capacidade dos consumidores em manter o orçamento em dia”, explica.

 

Pessoas Inadimplentes
Variação mensal
(Gráfico 2)

 

Perfil do consumidor inadimplente – Em janeiro, na comparação com o mesmo período de 2016, a maioria das dívidas em atraso (47,61%) foi registrada por consumidores com idade superior a 50 anos. De acordo com a economista da CDL/BH, esse público tem mais dificuldade em conciliar suas despesas. “A renda da aposentadoria reduz em função do aumento do custo de vida. Por isso, fica difícil fechar o orçamento no fim do mês”, afirma.

Por outro lado, o endividamento entre os jovens de 18 a 24 anos apresentou queda de 28,06%. Essa redução da inadimplência é justificada pela entrada tardia dos jovens no mercado de trabalho.

 

Variação anual por faixa etária
(Gráfico 3)

 

A análise segmentada por gênero mostra que os homens foram responsáveis pelo maior crescimento da inadimplência (2,96%) em janeiro, frente ao mesmo período do ano anterior. Já entre as mulheres essa alta foi de 2,43% nos débitos pendentes do SPC da CDL/BH.

 

Variação anual por gênero
(Gráfico 4)

 

Dívidas em atraso – O indicador de dívidas do SPC da CDL/BH apresentou alta de 1,47% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em 2016, esse indicador ficou em 6,40%. Ana Paula afirma que para tentar equilibrar o orçamento muitos consumidores acabam privilegiando o pagamento de despesas essenciais, adiando a quitação de outras dívidas. No mês anterior (Jan.17/Dez.16), esse indicador cresceu 0,35%.

 

Variação anual
(Gráfico 5)


Metodologia – Os indicadores de inadimplência apresentados neste material contêm todas as informações disponíveis nas bases de dados a que o SPC Brasil e a CDL/BH tem acesso. O indicador de pessoas físicas inadimplentes mostra a variação mês a mês no número de pessoas registradas na base do SPC Brasil. Cada pessoa física inadimplente é contada apenas uma vez, independente do número de dívidas que tenha em atraso. Já o número de dívidas em atraso mostra a quantidade média de dívidas em atraso de cada pessoa física.